sexta-feira, 25 de maio de 2018

GALERIA DE TODOS OS PASTORES PRESIDENTES DA IEADERN, ATÉ OS DIAS ATUAIS

            Ao longo destes 100 anos de História, o nosso Deus levantou Homens valorosos para ficarem na liderança da Igreja e cada um deles não mediram nem medem esforços para dar continuidade a obra que lhes foi confiada, observando sempre a Doutrina e os Bons Costumes,  mascas indeléveis da IEADERN.



Fonte: https://ieadern.org.br/institucional/galeria-dos-presidentes/

A HISTÓRIA DA IEADERN


1 – Como tudo começou
A Igreja Evangélica Assembléia de Deus no Rio Grande do Norte – IEADERN originou-se do extraordinário movimento pentecostal que conquistou o Brasil, a partir de 1910. Nesse ano – mais exatamente em 19 de novembro – os suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg desembarcaram em Belém/Pará, vindos dos EUA. Eles traziam consigo a revelação específica de Deus para uma grande obra evangelística a ser iniciada naquele Estado. A atuação desses missionários deu origem à “Missão de Fé Apostólica”, primeiro nome dado à igreja, em 1911.
O movimento de evangelização pentecostal espraiou-se pelo Norte e rumou em direção ao Nordeste do País. O Ceará foi inicialmente evangelizado por uma irmã paraense, em visita aos seus familiares. O Rio Grande do Norte e a Paraíba tiveram em um lavrador paraense – por nome Joaquim Batista de Macedo – um dos primeiros evangelizadores. Nesse contexto, em 1914, a Cidade de Fortaleza já contava com duas igrejas, totalizando uma centena de crentes...

CONHEÇA A TRAJETÓRIA DO ATUAL PASTOR PRESIDENTE DA IEADERN


           Foi no dia 27.05.1953 que, no sítio Sabugi, município de Caicó (RN), precisamente às 9 horas, numa quarta feira, nasceu o filho caçula do casal José Basílio e Maria Fernandes. Foi numa casa simples, de taipa, que, pelas mãos de uma parteira nascia, então, aquele que viria a ser chamado de Martim Alves da Silva.

          Filho de uma família pobre, desprovida de recursos financeiros e econômicos, foi criado juntamente com seus dois irmãos Manoel Basílio e Maria Odete naquela localidade, onde as frutas que conheciam eram juá, melancia e trapiá. A água consumida pela família era retirada de uma cacimba, onde para colher pela manhã e à tarde era necessário retirar os sapos que estavam dentro dela. Sem qualquer tratamento, portanto. E, assim, permaneceu no sítio onde nasceu até os cinco anos, quando, no ano de 1958, sua mãe desiludida da situação em que vivia, resolveu ir morar na cidade. Foi numa tarde quente de outubro daquele ano, às 14 horas que ela, juntamente com seu filho mais velho – Manoel Basílio – partiram para Caicó/RN à busca de melhores condições de sobrevivência. Uma semana depois voltou para levar os demais filhos, indo morar na casa de uma cunhada. Dois meses depois se transferiu para uma casa de três cômodos onde, mesmo apertada, era menos ruim do que a morada no velho sítio onde nasceu...

quinta-feira, 24 de maio de 2018

CONSAGRAÇÃO AO PRESBITÉRIO

Eu louvo ao meu Deus por mais um promessa cumprida em minha vida, sei que ainda a muito a fazer na obra ao 
Serviço do Senhor Jesus.

Qualificações Que Os Presbitério Precisam Ter

Há dois textos bíblicos principais que apresentam, em forma de instrução e prescrição, as qualificações necessárias dos presbíteros: 1 Timóteo 3.1-7 e Tito 1.5-9. O assunto é extremamente importante e sempre atual para cada igreja local. O cristão consciente sabe muito bem o quanto é valioso para a igreja ter  presbíteros que satisfaçam a essas referências bíblicas. São listados cerca de 21 requisitos, sendo 5 apenas em 1 Timóteo 3.1-7,  7 em Tito 1.5-9 e,  9 comuns aos dois textos. Para propiciar uma melhor visão didática, essas qualificações individuais e familiares, podem ser agrupadas sob os seguintes aspectos/segmentos: “caráter/temperamento”, “comportamento/hábito”, “habilidade/competência/maturidade” e, “situação conjugal e familiar”. Portanto, cada presbítero deve atender a essas qualificações, sendo que em algumas delas precisará contar com a colaboração da família (esposa e filhos).
Apresentamos, a seguir, as 21 qualificações vinculadas a seus respectivos segmentos. Ainda que tecnicamente alguma qualificação possa ser mais bem enquadrada em outro segmento, o mais importante, sem dúvida, é entender o significado de cada uma delas e que esta instrução bíblica seja praticada na igreja. O assunto é muito extenso, mas será abordado aqui de forma sucinta. Os textos bíblicos seguem a versão Almeida Revista e Atualizada (ARA).
I.   CARÁTER/TEMPERAMENTO
Considera-se aqui o “jeito de ser” da pessoa.
Qualificação:“temperante” (1Tm 3.2) / “que tenha domínio de si” (Tt 1.8)
Significado:Poder ou virtude pela qual o homem pode refrear os apetites desordenados.
Comentário: O homem temperante ou moderado é aquele que não se deixa arrebatar por extremos. Não pode ser extremista. Precisa ter controle e domínio de si e dos seus atos. Precisa ser autodisciplinado e autocontrolado.